Pular para o conteúdo principal

Ansiedade...

Incrívelmente, o meu primeiro post no blog tem assunto! Nunca pensei que isso aconteceria, acho que demorei a criar o blog exatamente por isso. Mas o assunto desse post não é porque criei o blog, e sim, a ansiedade. Não aquela ansiedade de antes de viajar ou de antes de uma prova; falo da ansiedade de antes de um dia muito esperado, que se aproxima minuto a minuto.



Meu dia esperado, na verdade, não é só um, são dois. O primeiro, mais próximo e a realização de um sonho é o show dos Jonas Brothers. Sim, aqueles irmãos que já devem ter enchido o saco, que aparecem toda hora, os bonitinhos e santinhos. Bom, na verdade nao vejo eles exatamente assim. Para mim eles são muito mais que rostinhos bonitos e comportados: são exemplos a serem seguidos. São rapazes divertidos, engraçados, um tanto bobos demais, com muito senso de humor mas também, senso de etiqueta. E que etiqueta! Como é difícil ver garotos da idade deles sendo educados e cavalheiros como eles são! Mas também são exemplo de batalhadores, aquelas pessoas que mesmo com as dificuldades do dia-a-dia, continuaram tentando. Esses três "rostinhos bonitos" me ensinaram a amar a música mais do que já amava, me ensinaram a lutar muito pelos meus sonhos, ensinaram a manter a fé, tentar de novo, não desistir. Aprendi que sempre vão haver altos e baixos, mas devemos nos manter firmes e fortes. Aprendi a ser caridosa, a me preocupar mais e mais com o planeta e com as pessoas.

Os irmãos Jonas são exemplos de pessoas que deram a volta por cima, também. Kevin sofria bulling na escola, e até hoje tem um certo trauma com isso. Bom, penso que já era hora de ele perder esse trauma, já que há tantas loucas querendo casar com ele. Nick é diabético e não deixa isso derrubá-lo. Ele tem até uma ong para ajudar crianças com diabetes. Nicholas juntou sua fama e sua doença e tornou isso um exemplo para jovens em todo o mundo.

Além de tudo isso, me divirto com eles: os videos, as piadas, as musicas, os shows, as fotos. Praticamente tudo neles é bom. E, podem me achar louca, não amo eles pra me casar; não gosto só de um ou dois deles; eles pra mim são como irmãos ou amigos, que te ajudam, te apoiam, te ensinam. Tudo o que eu queria era ser amiga deles (já que ser irmã é bem impossível).

E dia 24 de maio de 2009 eu vou vê-los ali, na minha frente, ao vivo. No passado, isso era uma imaginação, um sonho. Agora as imagens de mim em um show deles são até mais nítidas do que antes. Simplesmente não há palavras para descrever o que sinto e, menos ainda, o que vou sentir. Esse show vai ser apenas a realização de um dos meus sonhos.

O outro dia esperado é a estréia de Harry Potter e o Enígma do Príncipe. Esse é um dia um pouco mais distante, mas ainda assim esperado. Só que a estréia deste filme é polêmica. É polêmica porque eu cresci lendo Harry Potter. Leio os livros e assisto so filmes des dos sete anos. Li o primeiro livro até antes de estrear o filme e lembro de cada sensação ao ler um livro e ver um filme. Lembro de todos os meus dias junto ao meu amigo Harry.



Sim, Harry foi um dos meus melhores amigos. Passou madrugadas ao meu lado, manhãs e tardes. A cada segundo eu pensava nele. Era meu confidente. Harry me ajudou e muito, em várias fazes da minha vida, mesmo porque eu amadureci com ele e os atores dos filmes. Com Harry Potter eu ri, chorei, briguei, odiei, esperei, discuti, amei, gritei, idolatrei, entre tantas outras coisas. Com o livro, aprendi milhares de valores, como o amor, a amizade, a coragem, lealdade, força, persistência. Harry Potter foi o primeiro livro decente que li. Harry Potter foi o que despertou meu amor a leitura e a escrever. J. K. Rowling é a minha maior idola, minha inspiração. É por causa dela que eu quero ser escritora no futuro e ela é uma das mulheres mais inspiradoras para mim. Ela mostrou que talento e criatividade, que palavras, podem mudar uma vida. Ela me provou que ser forte e persistente vale a pena e que se você realmente acreditar, você conseguirá. J.K. passou de uma mulher pobre a mulher mais rica do mundo. Mas o mais importante é que ela criou meu melhor amigo.

Por ser meu melhor amigo, o fim da saga foi um choque. Fiquei muito ansiosa em saber o fim, mas, ao terminar o livro, meu mundo desabou. Não haveria outro livro para esperar, acabara completamente. Um mês de choro e tristeza, quase luto, se passou, até eu finalmente perceber que não era o fim: era o começo. Faltam dois filmes (um deles em duas partes) para serem lançados, e depois disso, não será o fim absoluto: será o começo de algo novo, uma nova era. A era dos fãs de Harry Potter, saudosos mas fiéis. A saga pode ter acabado, mas a história nunca acaba. Uma vez contada ela vai se perpetuar para sempre e sempre. Esse não é o fim do mundo mágico que cresceu comigo, é o começo de uma faze de novos fãs, de lembranças, de saudades, mas de uma saudade boa, gostosa. É como uma música: você sempre poderá ouvir novamente.

Então, a estréia desse novo filme é boa, porque quero muito ver o sexto - e penúltimo - filme. Mas, ao mesmo tempo é triste, porque, mesmo que eu saiba de todas essas coisas sobre como agora vai ser o novo começo, eu vou sentir saudade da espera. Da ansiedade.


Sim, isso é o que tenho pensado nos últimos dias: anseio o show dos Jonas, mas, no fim do show, o que virá depois? A sensação horrível de saudades e de quero mais, ou a alegria de tê-los visto de perto? Acho que ambos. E depois de ver o sexto filme de Harry Potter, o que virá? A tristeza porque ele acabou e o próximo será o último, a ansiedade para o próximo, a alegria de ter visto mais um filme...? Com certeza, todas as respostas possiveis.

Ansiedade... será mesmo que vale a pena sentir tanto isso? Será que é bloqueável?
Eis a resposta: Sim e Não.

Comentários

  1. ooi, lih bjs13/04/2009 15:30

    nooooooooooooooooooofa, que chique *-* ah cara, porq eu sempre gamo nos teus textos/desabafos? sai fora meu, eu querendo me animar pra ser jornalista e você vem com essas coisa que me humilham, que eu nunca vou ser capaz de fazer ¬¬¬ LJSJEPSJEPL mas tá valendo! te amo lê ♥

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

Peões

Hoje, somos peões.

Na grande batalha da humanidade por um passo a mais, um nível a mais em direção à utopia que imaginamos, nós somos os peões.

Há sangue. Há dor.

Há a busca pela aceitação. Somos um. Um grande pequeno pedaço de um enorme universo. Isso é lindo. Isso é esquecido. Enterrado abaixo de muita sujeira e palavras de dor, de culpa, de ódio.

Há busca pela verdade. Porque mentem e enganam, ou porque muitos se intitulam proprietários das respostas para tudo e aqueles que creem nessas respostas lutam cegamente por elas. Ou mentem e enganam e tiram dos outros tudo aquilo que têm.

Busca-se dignidade. Busca-se justiça. Busca-se orientação.

Há a destruição de tudo o que se vê. Tudo o que existe em perfeito equilíbrio na grande engrenagem da vida... desequilibrada, e não há remorso por isso. Há morte, há destruição e não há quem veja que destruir o meio é destruir a si.

Destruir o próximo é destruir a si.

Uma palavra de ódio. Um galho arrancado. Uma liturgia mal pregada. Um lí…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cria…

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…