27 outubro 2010

Caminhos da Cidade

Ando pela cidade,
Não sem rumo,
Só saudade.

Ando pela cidade
Sem caneta,
Só guiado por palavras,
Palavras de qualquer idade.

Ando pela cidade
Sem minha tela,
Só cores
Me fazem ter cautela.

Ando pela cidade
Sem um script,
São os atos dos que atuam
Que me botam a sorrir.

Ando pela cidade
Sem meus flashes
Os faróis e postes
Já iluminam por aqui.

Ando pela cidade
Sem meu livro
É só olhar, com isso me contento,
Observatório de conhecimento.

Ando pela cidade
Só ando por aí
Calculando com meus dedos
Olhando a folha a cair,
Gravidade!
O vapor do que evapora a subir

Prédios que se erguem
Orgulhos que se perdem
Mas minha arte continua
Firme, forte
Nada abala aquela estrutura

Ando pela cidade
Sem pauta,
São os sons a zunir
Que vão me fazer sentir.

Na cidade tudo aflora
Na cidade tudo mora
Na cidade tudo vive, tudo morre
É um drama, é um porre.

É de noite, é de dia
Que agonia!
A vida de um artista,
Tanto faz a sua arte,
É só andar na cidade.

Ando pela cidade
Com um rumo, um caminho
O da arte.
Nesses versos, eu demonstro
Os caminhos da cidade.

Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. awwwwwwwwwwwwwwwwwn, que fofa! *-* Amei, tem talento pra tudo. até pra poetisa! amo você

    ResponderExcluir
  2. perfeito ;D
    queria eu ter esse talento pra escrever, continua assim.

    ResponderExcluir
  3. A cada obra você evolui. É difícil você escrever nesse gênero, mas ainda sim não deixa de demonstrar o talento *-*

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe um comentário dizendo o que achou! :)