Pular para o conteúdo principal

Retrospectiva 2010

Essa lista estará fora de ordem e provavelmente faltando algumas coisas, de propósito ou por esquecimento. Mas, você sabe, eu esqueço as coisas mesmo.

Acontecimentos maiores:

- Começa o ano e eu perco o show do Elton John. O que só fez meu vício/amor por ele aumentar, até chegar no ponto que é hoje, que sou loucamente alucinada por ele.
- Férias normais, nada demais
- Começa o ano escolar. Será que conhecerei pessoas novas? Será que estudarei como sempre prometo? Sobre esse tópico, posso dizer que sim, conheci pessoas novas e não, não estudei como prometi, mas estudei bastante. Ano que vem vou melhorar (e agora é serio)
- Conheço algumas pessoas no começo do ano. Como poderia eu imaginar que daquele "oi" no meio do recreio ou da conversa na porta da escola sobre ir no cinema (e meu comentário inútil "fazer o que?") resultariam em algo tão grande?
- Vou para São Paulo esmagada no banco de trás com a Aliane, Eloisa e João.
- Vou pra São Paulo ver o show da Demi com Aliane e sua mãe, Amanda e Renata, João, meu pai e Letícia. E vivo uma aventura traumatizantemente maravilhosa.
- Fico internada durante duas semanas em Extrema estudando Física e descubro o quanto amo meus amigos e como é recíproco.
- Volta as aulas de novo.
- Conheço mais pessoas legais e incríveis.
- Me uno à Bruna, Heloisa, Bingo, Nathê, João e Aliane para montar uma festa de Halloween, que foi um sucesso e um momento incrível com amigos.
- A mesma festa gera um fail na escola e nas aulas de violão.
- Chega Novembro, o mês mais emocionante possível. Primeiro o show do Black Eyed Peas com Aliane, Ramon e Bruna. Depois o show dos Jonas com Nathê, Aliane e suas mães. Depois a Pré-Estréia de Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 1, com: Ramon, Nath, Bingo, Bruna, Luiz, Gouvea, Alan, João, Carol (e os amigos dela), Aliane, Eloisa, Rene, Cauê e minha mãe. E na mesma pré estréia eu exerço minha função jornalística e converso com pessoas incríveis. Choro loucamente no ombro da minha mãe e de todas as outras pessoas que estavam comigo.
- Para completar Novembro... lembra que não tinha ido no show do Elton John? Pois é, também não fui no do Paul (o que faz a Bruna rir muito de mim), mas em compensação realizei meu mini sonho de ouvir um show pelo celular (Hey Jude, Let It Be e Live And Let Die).
- Dezembro chega com uma recuperação cansativa (sessenta exercícios não é fácil) mas FINALMENTE me trás as férias.

Algumas pequenas felicidades, e algumas delas clandestinas:

- Uma pequena grande coisa no começo do ano que diz respeito a mim e algumas pessoas que tiveram a oportunidade de saber;
- Se sentar na arquibancada do Morumbi e ver aquela enormidade de outro ponto de vista, com flashes, luzes de celular e tudo;
- Cantar parabéns para o Kevin, Nick Jonas tocar Stay, Joe falar português;
- Saber que existem outros fãs de Harry Potter loucos como eu;
- Ir em um hotel tentar ver a Demi Lovato;
- Ouvir a primeira música feita pela sua banda favorita e chorar insanamente, com sua amiga rindo da sua cara ali do seu lado;
- Atender o celular e ouvir "Heeey Juuuude", daí você sente seu coração dar um salto;
- Saber que tem pessoas que comem o recheio da bolacha e depois o biscoito;
- Saber que existem pessoas que usam pijamas;
- Falar Italiano toscamente;
- Ser cupido;
- Lê Ali. Onde? Ali, ó, Verifique!
- Girar que nem retardado em um mirante;
- "Eu rezo por eles";
- Usar aquele site engraçado para fazer musiquinhas e raps;
- Ficar na porta da escola até duas horas da tarde;
- Tomar Milkshake;
- Viajar com amigos, mesmo que por um só dia;
- Ouvir a sua música favorita da vida toda tocando em um rádio, mesmo que esse rádio seja na internet;
- Fazer paródias e composições bizarras;
- Brisar loucamente;
- Testes e joguinhos engraçados durante os ócios;
- Ser QBS;
- Ver as pessoas gostando dos seus textos;
- Jogar Uno (na casa do Bingo, do Cauê, no emissário...);
- Ver filme na Nathê;
- Comer miojo na casa do João;
- "Invadir" a casa do João pra devolver a bicicleta dele;
- Ter minha casa invadida pelos meus amigos e minha família para o primeiro jogo da copa;
- Ir no Rockabilly (depois da aula, para comemorar o niver do Nick, para um passeio mãe e filha);
- Ouvir Your Song;
- Andar na Pick Up vermelha do meu pai, que no seu dia de estréia já me dá uma história para contar;
- Ouvir música clássica com meu pai;
- Visitar sítios com meu Pai e a Márcia;
- Chegar no lugar da sua infância depois de anos e reconhecer o cheiro, a textura, a cor... e ser reconhecida e recebida pelos cachorros com muita alegria;
- A dança de todo axé do Fábio;
- Conversas tensas com a Gabi e a Pri;
- Ver minha priminha Bia;
- Comer que nem porcos na festa da criança e atacar a mesa de doces;
- Comer M&M's com um ano e meio a mais do prazo da validade;
- Ir na praia todos os dias com o Robert;
- Rodízio de Pizza;
- Guerra de areia com o Robert, o André e o Pedro;
- Ver o André falar como um "adulto" e o Pedro se formar no pré;
- Jogar Mario Kart com brigas incessantes entre os dois, mas resolver isso dando mais um controle para eles;
- Jogar Mario Kart de três jogadores;
- Jogar Guitar Hero em todos os lugares possíveis: computador, playstation, xbox, wii, celular, mesa, ar...
- Combinar de atirar a "pedrinha" do décimo sexto andar para ver se quica, mas nunca fazer isso realmente;
- Virar um potinho de ketchup de uma vez;
- Misturas estranhas de comida;
- Montar os enfeites de Natal com a minha tia;
- Escolher um all star com a outra tia;
- Chegar em casa com fome e encontrar a comida maravilhosa da avó;
- Chegar em São Paulo com fome e também encontrar a comida da avó;
- Ir para as aulas de violão e rir muito com o Edinho;
- Assistir o barbeiro de sevilha;
- Chegar em casa e ver uma cachorrinha e uma porquinha da índia felizes em te ver;
- Jogar Roller Coaster o dia todo;
- Receber uma visita direto do parque do Harry Potter e ganhar a coruja que me levará para Hogwarts, junto com alguns feijõesinhos para a viajem;
- Entrar em livrarias bacanas;
- Ir no cinema;
- Ler um livro;
- Descobrir e redescobrir seus gostos;
- Assistir House e Ghost Hunters;
- Vícios em internet e chocolate;
- Tomar Starbucks e depois encontrar LP's divos;
- Preparar o multireferências na sala da coordenação;
- Conversar com os professores;
- Olhar o céu, as árvores e o mar;
- Assistir da janela a chuva torrencial;
- Figurinha;
- Quintas-Feiras são os dias certos para sair;
- Ser visitada pelos meus amigos, com flores e um cartão lindo, quando estava doente;
- Ter pelo menos uma música para cada pessoa que significa alguma coisa pra você;
- Só fala quem tiver com o Milkshake!
- Clube do Livro;
- Assistir a Eloisa e a Bruna duelando no Badminton e no Twitter;
- A Heloisa ser neta emprestada da minha avó;
- Conversas produtivas, improdutivas ou discussões no msn;
- Discutir política, música, filmes, pessoas...
- Ver ET's invadindo a Terra na casa da sua amiga e todo mundo vestir capacetes de papel alumínio;
- O Léo e o Mingo irem visitar a escola;
- O Ramon e o Gouvea também;
- Encontrar o Mauri no shopping;
- Chorar loucamente com o final da Mediadora;
- Entrar em choque com o Menino do Pijama Listrado;
- Tomar um chá de cadeira;
- Binds, Letite-C, Nathíase, Aliantropia, Cauerdose, Eloisite...
- Ter pessoas especiais para compartilhar esses e outros momentos.


Infelicidades:

- Pessoas toscas;
- Brigar por nada;
- Ficar doente e ser picada umas mil vezes em uma semana;
- Saudades;
- Não ir no show do Elton e do Paul;
- Ficar de recuperação;
- E algumas outras coisas por aí.

Enfim:

Esse ano foi um ano lindo, muito muito bom, com grandes histórias e brisas. Com momentos bonitos, divertidos, legais, felizes, educativos... Até as coisas ruins são boas, porque são delas que tiro as próximas lições. Esse não foi um texto muito desenvolvido e com intenção de ser engraçado, ou comovente, ou sei lá o que. É apenas um registro. Mas, se de alguma forma, você foi incluído nessa lista (seu nome não precisa ser citado, apenas o que você fez ou participou), acho que sentiu um pouco do que senti, quando escrevi.

Esse foi um ano para recordar...

... E que venha 2011!

Comentários

Postagens mais visitadas

Peões

Hoje, somos peões.

Na grande batalha da humanidade por um passo a mais, um nível a mais em direção à utopia que imaginamos, nós somos os peões.

Há sangue. Há dor.

Há a busca pela aceitação. Somos um. Um grande pequeno pedaço de um enorme universo. Isso é lindo. Isso é esquecido. Enterrado abaixo de muita sujeira e palavras de dor, de culpa, de ódio.

Há busca pela verdade. Porque mentem e enganam, ou porque muitos se intitulam proprietários das respostas para tudo e aqueles que creem nessas respostas lutam cegamente por elas. Ou mentem e enganam e tiram dos outros tudo aquilo que têm.

Busca-se dignidade. Busca-se justiça. Busca-se orientação.

Há a destruição de tudo o que se vê. Tudo o que existe em perfeito equilíbrio na grande engrenagem da vida... desequilibrada, e não há remorso por isso. Há morte, há destruição e não há quem veja que destruir o meio é destruir a si.

Destruir o próximo é destruir a si.

Uma palavra de ódio. Um galho arrancado. Uma liturgia mal pregada. Um lí…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cria…

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…