Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

As Sete Coisas

Eu não devia dizer isso
Mas estou me sentindo lixo
Pensando nas tardes que nos estressamos juntos
É o calor, eu sei disso
Mas não é possível pra mim aguentar
Queria que chovesse e lavasse minhas lágrimas
Mas nada vai mudar até você estar aqui
Meu amigo.

As sete coisas que odeio em você:

Você ignora o fato de que microondas não é necessário pra viver
Você não percebe que eu como o que quero, e ainda como bem
Você não respeita minhas manias, medos, inseguranças
Acha que sabe mais do que eu sobre elas
Você me faz rir, você me faz chorar, não sei o que escolher
Quando viram idiotas me machuca muito
Eu quero estar com os que eu amo
E a sétima coisa que eu odeio mais em você: eu te amo.

É legal e estranho estar com você
O que quero mais agora são desculpas sinceras
Eu errei, você errou
Vamos todos resolver, sermos claros
Não vou me desmanchar,
Mas preciso de todos aqui

As sete coisas que odeio em você:

Você não me espera
Você me culpa de tudo
Você não ouve o que digo
Acha que sou vítima
Voc…

Baunilha com Maresia

Parado ali, sentiu primeiro o sopro do mar que sussurrava algo, mas parecia ser em outra língua. Ou em todas. O dono do sopro se chocava com as pedras calmamente. Qualquer um temeria um encontro, mas ele sabia que era inevitável. Então se chocava e se quebrava em espuma.

Havia um horizonte naquele momento. O céu era sorvete de cereja, com nuvens de marshmallow. O oceano era sua taça. As pedras eram a colher.

Respirou fundo e pôde sentir o cheiro: baunilha com maresia. A baunilha não era do tipo que coçava o nariz, pois tinha o sal do mar. Ela vinha das velas, expostas ao redor da cama. Eram pequenas vigiadoras para quem quer que se acomodasse no móvel de madeira com colchão macio. Haviam cortinas de seda.

Sentiu a frieza da pedra com um pouco de grama em seus pés. Se dirigiu à cama, sentindo a areia, e sentou-se.

O vento soprava seus cabelos, suas roupas brancas e a cortina de seda. Recostou-se nos travesseiros e esperou pacientemente. Logo, apareceu.

Era uma sombra, apenas. Não se d…

Um Livro Real

Estamos em uma cidade praiana de São Paulo. À uma quadra da praia e do canal, há um prédio verde e cinza.

Olhe para os lados e suba até o sexto andar.

Tem uma garota sentada em sua cama com lágrimas escorrendo pelo rosto, digitando alguma coisa. Ao seu lado jaz um livro branco.

A chuva cai quente e em diagonal, do lado de fora. O cheiro de praia e jardim molhados entra pela janela. O sol brilha, mesmo assim.

Tomada pelo ritmo e palavra do livro, ela escreve naquele estilo. É sempre assim, quando termina algum bloco de papel: ela fala e pensa do jeito que as palavras soavam. Ela é um eco.

Despejava as palavras como baldes de água fria nas teclas de seu computador. Chovia no quarto, chovia na rua. Em algum lugar ouvia-se música em inglês com sotaque italiano. Mas isso pouco importava. Só o livro branco, logo ali ao lado, era o foco.

Seu peso estava no coração da garota e forçava tudo para baixo: as lágrimas, a felicidade, a tristeza, as palavras...

Parecia conveniente começar a chover u…

Objetivos Para 2011

Não são muitos, logo de cara assim. Primeiro, quero que seja um ano em que eu e todos os que amo tenham saúde, felicidade, realizações, dinheiro (porque sempre se deseja isso), amor, e todas aquelas coisas de sempre.

Depois vem meus próprios objetivos.

Primeiro: Publicar um livro. Não importa qual seja, sobre o que seja, como seja. Só preciso publicar.
Segundo: Passar de ano direto porque vou ter estudado loucamente durante o ano.
Terceiro: Me engajar mais em projetos em prol do meio ambiente e dos animais.
Quarto: Ir para a Disney.
Quinto: Ver a última premiere de Harry Potter em Londres.
Sexto: Conhecer os Jonas!!!
Sétimo: Emagrecer haha
Oitavo: Terminar séries de livros pendentes.
Nono: Conhecer pessoas e lugares novos e legais.
Décimo: Viver algumas pequenas felicidades, pequenos sonhos.

Daqui um ano vejo o que consegui ou não realizar. Mas o mais importante é conseguir que este próximo ano seja tão bom que 2010. Pensando bem, gostaria que fosse até melhor, se possível.

Feliz 2011!