Pular para o conteúdo principal

Cores Dançantes

Existe uma coisa que acontece nos dez minutos finais de cada ano. Claro, a coisa se extende durante todas as últimas vinte e quatro horas, mas nos dez minutos finais é que o negócio "pega fogo".

Durante as horas do último dia do ano acontece toda uma preparação de festa, pessoas indo na praia ficar lá até a virada (pelo menos aqui, onde tem praia), arrumar a casa para receber a família, corre pra lá, corre pra cá. Uma agitação, uma espera. Desejos, pedidos, esperanças.

Uns aqui e ali ficam nostálgicos. Deprimidos. Mas acaba logo.

Nos dez últimos minutos, ninguém se preocupa mais. Porque correm para pegar seu champagnhe, seu refrigerante, seus parentes. Correm até onde vão ver os fogos, com uma máquina fotográfica, e vão sorrir. Vão contar os minutos.

Então uma explosão de cores em chamas toma o céu. As estrelas se apagam para o espetáculo à frente. Ninguém mais se desconhece, o mundo é um só. As cores dançam todos os ritmos pelo céu. A música explode aos seus ouvidos. Gritos. Aplausos. Que maravilha de show!

Então acaba. Todos vão para casa. E a vida continua a mesma.

Mas, você sabe, é bom sentir que todos são um só por uns dez minutos. Principalmente se acompanhado de cores dançantes.

Comentários

  1. Ana Carolina15/02/2011 15:38

    Adoro o seu blog, você vai ser uma grande escritora! Quero um autógrafo desde já ;D
    Ana Carolina

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

As Bolhas

Sigo uma filosofia de olhar todos como neutros. Cada dia, as pessoas são uma coisa. De vez em quando, bolhas de sabão. Outras vezes, são todos bonecos de papelão.
Não importa a figura do dia, todos são idênticos à minha frente.
Não os vejo assim porque penso em um mundo massificado onde todos são iguais, dominados e alienados. Nada disso. Mesmo porque, de qualquer forma, já vivemos mais ou menos assim.
Os vejo como bolhas de sabão porque sei que é o certo a se fazer. Enquanto não conhecer a pessoa, ela é uma bolha. Dentro há uma infinidade de curiosidades para se descobrir. Quando a bolha estoura descubro o nome e, depois, a pessoa em si. Como ela é, o que pensa, o que gosta.
E, ainda assim, mesmo depois de a bolha estourar, tenho em mente que todos fomos bolhas. Eu era a bolha dele, ele a minha, nós dois a sua.
Escolhi bolhas porque elas são simplesmente redondas, de sabão e ar, e flutuam por aí, iguais, livres. Mas todas têm um brilho especial ao sol e um quê de diversão... Quem não gost…

Selo de Qualidade

Meu primeiro selo, que me deram no dia seguinte do meu aniversário. Um baita presentão!

Por falar em meu aniversário, ele foi muito bom e a minha amiga me conseguiu "replys" (respostas) no twitter de três pessoas "famosas" que eu adoro muito, me desejando feliz aniversário. Um deles até disse meu nome mesmo, além do meu endereço (não sei como explicar essas coisas de um modo que os leigos em twitter que lêem esse blog possam entender, mas tudo bem).

De qualquer forma, o presente que ganhei, o selo de qualidade, é esse aqui embaixo e foi entregue pela Maiara, do blog Entrelinhas (muito obrigada, querida):


E com esse selo tenho que indicar 10 blogs (e avisar seus donos, claro) e falar 10 coisas sobre mim. Então vamos lá:

Os Blogs:

- http://cronicasdachica.blogspot.com/
- http://complexodecassandra.wordpress.com/
- http://antesdodiaterminar.blogspot.com/
- http://andersontomio.blogspot.com/
- http://denovomaisumavez.blogspot.com/
- http://anaclaraqs.blogspot.com/
- ht…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cri…