02 abril 2012

Um Retrato Musical


O vidro embaçado com gotas caindo do céu lá fora. Uma ruazinha com casas simples escondida no meio da cidade. A cabeça recostada, os olhos contando gotas, a respiração lenta. O corpo todo relaxado, um pouco torto na cadeira, com a mochila entre os pés.

O sono da manhã, que se afastara um pouco com o achocolatado em "temperatura ambiente" e pão com manteiga, retornava para os olhos que começavam a semicerrar.

Ao seu redor, o silêncio era quebrado pelas gotas de fora e pela música... Ah, que música maravilhosa soava em seus ouvidos ali dentro! Uma guitarra dedilhada certeiramente, sem peso. Era leve e levava para outro estado de espírito, de mente, de corpo. A voz murmurava alguma história de sultões do balanço. As notas saíam como brincadeira.

Aquilo era a imagem perfeita de uma manhã comum na vida de uma criança que, mais tarde, escreveria. Em seus textos, faria um retrato do seu caminho para a escola ao som sempre do clássico que viraria uma de suas mais doces lembranças musicais.




Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Sabe que vc escreve e parece que, quem lê vive o que vc escreveu?
    Até me vi mesmo, dentro de um carro, chuva, vidro embassado, ouvindo uma musica...

    gostei mto daqui... vou seguir!!

    http://opinandoemtudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a moça, Letícia, tem ideia do dom e da intimidade incrível que tens com as palavras? Consegue fazer-nos viver cada palavra. Eu gostaria de ter esse olhar mais clínico para a simplicidade, geralmente eu trago muita pompa para os textos.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe um comentário dizendo o que achou! :)