Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

A Surpresa de Lily e de Lelê

Primeira coisa que você tem a fazer é assistir este vídeo:




Estava indo ver um vídeo inútil para minha formação no YouTube quando, como sempre, aparece um anúncio. Eu sempre clico para pular o anúncio depois dos cinco segundos, mas a garotinha e o vídeo caseiro me chamaram atenção (descobri depois que era do itau, que usou um vídeo já existente). Não cliquei para pular o anúncio e assisti.
Qual não foi minha surpresa quando me peguei sorrindo com a Lily a cada presente? Quando ela descobre a grande surpresa dela e começa a chorar, qual não foi minha surpresa a sentir gotas enormes e quentes escorrendo pelo meu rosto?
Não sei se sou sensível demais ou o que. Isso pouco importa. Essa garota me tocou, lá no fundo.
A sinceridade dela, a alegria e depois ela chorando com o sonho de sua pequena vida realizado... Os pais rindo, abobados, comovidos junto com a filha... Eu me senti parte da alegria e do amor que a cena irradiava! E fazia tanto tempo que não sentia algo assim!
A menina me lembro…

Pequenas e Grandes Felicidades

Uma roda. Um violão. Vozes.

Uns afinados, uns desafinados, uns mais tímidos que os outros. Alguns nem abriam a boca. Um deles disfarçou que não tinha a voz, mas, ah, eu vi e todos viram que ela estava ali.

Há momentos na vida em que pensamos se estamos realmente vivendo. Se nossos dias estão sendo úteis para algo ou alguém, se estamos aprendendo coisas, se estamos colhendo momentos. O que a maioria das pessoas não sabe é que os momentos de aprendizado e de fazer algo importante residem em cada pedaço de nossas vidas.

A alegria não é difícil de ser encontrada. Na verdade, ela está dentro de cada pessoa que souber olhar a situação, o detalhe, o momento mais simples e ver a beleza nele. Apenas aqueles que aprendem a olhar, já dizia Cecília Meireles, é que conseguem vê-los assim.

Então, a relação entre pessoas não deve ser muito diferente. Está tudo no saber olhar para quem está ao ser redor e saber tocá-los. Fazer algo por eles, mesmo que eles nem saibam que talvez precisem.

Musicando a Vida

Se quando você morre você vê a sua vida passando diante de seus olhos, eu meio que morro um pouquinho cada vez que ouço determinadas músicas. Essa frase foi dita por mim em uma conversa com uma pessoa presente em praticamente todas essas músicas, que são pedaços de vida.

Você já percebeu como existem certas canções que descrevem momentos e fases de sua vida? Descrevem pessoas que você conheceu, seus sorrisos, olhares e manias, e a história que viveu com elas. Descrevem momentos vividos. Sentimentos da alma. Fases da vida, inteirinhas.

Quando ouço essas determinadas músicas essas pessoas, momentos, histórias, fases, todos passam na minha frente, como em um filme. Como não fazer a comparação lá de cima?

Penso que a música é algo que fala por todos. Uma linguagem universal: todos a entendem, todos a sentem.

Talvez, então, devêssemos falar por música. Quem sabe então não teríamos todos uma vida mais bela.