Pular para o conteúdo principal

A Surpresa de Lily e de Lelê


Primeira coisa que você tem a fazer é assistir este vídeo:




Estava indo ver um vídeo inútil para minha formação no YouTube quando, como sempre, aparece um anúncio. Eu sempre clico para pular o anúncio depois dos cinco segundos, mas a garotinha e o vídeo caseiro me chamaram atenção (descobri depois que era do itau, que usou um vídeo já existente). Não cliquei para pular o anúncio e assisti.

Qual não foi minha surpresa quando me peguei sorrindo com a Lily a cada presente? Quando ela descobre a grande surpresa dela e começa a chorar, qual não foi minha surpresa a sentir gotas enormes e quentes escorrendo pelo meu rosto?

Não sei se sou sensível demais ou o que. Isso pouco importa. Essa garota me tocou, lá no fundo.

A sinceridade dela, a alegria e depois ela chorando com o sonho de sua pequena vida realizado... Os pais rindo, abobados, comovidos junto com a filha... Eu me senti parte da alegria e do amor que a cena irradiava! E fazia tanto tempo que não sentia algo assim!

A menina me lembrou minhas surpresas na vida. 

Lembrou de quando minhas tias voltaram da Disney e eu era muito pequena para acompanhá-las. Deveriam ter filmado: eu subi as escadas do prédio e, como elas moravam no primeiro andar, logo depois da primeira curva da escada circular eu as vi paradas na porta aberta.

Meus pais atrás de mim. Eu abraçando elas. A sala.

O dólar era um por um na época. Por isso, elas trouxeram um pedaço enorme da disney para mim. A sala lotou de bonecos, fantasias, roupas, brinquedos, bichinhos de pelúcia, acessórios, coisas tipo caneca e caixinha de música...

Elas são as culpadas por eu ter que passar o resto da vida cheia de brinquedo (afinal, não posso dar uma coleção dessas de forma alguma).

A felicidade que se apossou de mim naquele momento... caramba, eu devia ter uns quatro ou cinco anos, no máximo, e me lembro! Foi nesse dia que me prometeram me levar na Disney quando estivesse maior.

Ia ser com sete anos, daí teve o atentado às torres gêmeas. Depois seria com quinze: crise econômica. Agora SERÁ com dezoito, nem que eu tenha que ir apé para lá.

Enfim, continuando. Outro momento desses foi minha avó e minha tia avó me levando para ver o primeiro filme de Harry Potter e, ao começar, eu passar o filme inteiro encantada com o fato de ser tudo exatamente como imaginei no livro.

Harry Potter me trouxe mais algumas lembranças eternas: minhas tias me dando o expresso de Hogwarts de Lego (dei um abraço como o da Lily na mãe); minha madrinha me dando o pôster do Harry Potter (a família inteira comemorou e fez festa e foi hilário); minha prima veio do parque e me deu uma coruja, para que ela trouxesse minha carta para ir para Hogwarts (todo mundo na sala chorou feito bebê).

Ganhei duas surpresas de amigos: uma vez, doente, vieram me visitar com flores. Na outra, também doente, me trouxeram o primeiro disco que o Elton John lançou na vida.

Meu pai me deu dois shows na minha vida, que foram realizações de sonhos (no primeiro, eu chorei feito um bebê e abracei ele como a Lily abraçou os pais). E, além disso, deu para esta casa a Bolinha (porquinha da índia que nos deixou ano passado) e a Mindy (yorkshire loura que nos alegra todo dia).

Sabe o que é mais legal nisso tudo? Não são os presentes em si que fazem as memórias inesquecíveis. Seria um texto muito fútil se fosse só sobre isso. Claro que a Bolinha era um ser vivo, assim como a Mindy é também (a história da Mindy chegando é legal, qualquer dia conto), mas foram presentes.

As memórias inesquecíveis só o são por conta das pessoas nelas envolvidas e do sentimento que embalou o momento. Sentimentos extremamente semelhantes ao da Lily e dos seus pais.

Esse vídeo me fez reviver todas estas memórias e pensar em todos os sonhos que tenho para realizar. Me fez refletir, também, sobre a pureza da criança e de como deveríamos ser criança mais vezes. Provavelmente todos os dias (ou quase todos) passamos por coisas, as vezes bem sutis, que merecem um choro sincero acompanhado de risada e brindado por uma dancinha feliz. O único problema é que complicamos tudo demais e nem notamos estas coisas.

A vida passa muito rápido. Então temos que pegar cada sorriso de cada pessoa que te importa e transformar em um presente surpresa maravilhoso. Temos que distribuir surpresas para todas as pessoas por quem passamos. Temos que dançar felizes por cada dia.

Pois é, Lily. Você me surpreendeu me fazendo lembrar de cada surpresa dada e recebida, de cada pequeno sonho e, por fim, me lembrando desse detalhe importantíssimo: a vida é feita para ser recheada de dancinhas felizes e sonhos realizados.

Seria a vida um Kinder Ovo? Preços salgados, gosto doce e uma surpresa dentro?



Obrigada a Lúcia Delphino por refletir comigo sobre o vídeo, me ajudou muito a escrever este texto.

Comentários

  1. Leeeets muito liindo!! Ameei *-* como sempre escrevendo muito beem!! beeeijos

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais liiiiindo Letícia! *-------* , sério, adorei o jeito que a partir de um vídeo tão curto e que a primeira vista pode parecer tão sem utilidade para a nossa vida, você conseguiu tirar toda uma lição de moral *.* sadashudihasiudhiuasdads.
    Realmente, não é o dinheiro que faz das lembranças algo inesquecível e marcante na nossa vida, e sim as pessoas com quem estamos quando essas lembranças foram feitas :D
    Super adorei o seu pensamento! u_u

    Beeeeeeeeeeijinhos e um ótimo fim de semana! :*
    http://linguadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada! Esse era o objetivo, fazer notar como até nos vídeos curtos e sem utilidade podemos retirar coisas boas :)
      Agradeço mesmo, de coração!

      Beeeijos, pra você também!

      Excluir
  3. Vc e sua mania singela de me fazer chorar. Eu já tinha visto o vídeo, mas com toda a pressa da vida, não havia parado para essas observações... Tudo o que você disse foi lindo, nós sentimos o amor que há na sua família, o amor que há em você e em que te rodeia. Gosto quando você escreve porque algumas vezes suas palavras são como tapas. Dessa vez você me esbofeteou de novo, me dizendo : "Pare para rever as coisas lindas que você vive e que passam devagar. A sua pressa às vezes as esconde. E se acalme, correr pode te impedir de assitir coisas muito melhores do que você encontrará na chegada." Obrigada Letícia Wilhelm. Obrigada mesmo por não se calar. (A Lúcia Delphino é uma fofa né? )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwn eu amo seus comentários, eu não acho que mereço tudo isso! rsrsrs "nós sentimos o amor que há na sua família, o amor que há em você e em que te rodeia" é lindo ler isso, sabia?
      Todo texto "tapa na cara" é um tapa na minha cara, também. Preciso me lembrar dessas coisas de vez em quando ;)
      NÃO SE ATREVA! Eu que agradeço, o apoio todo!

      (sim, a Lú é um amor *-*)

      Excluir
  4. Adivinha quem chorou? haha
    Não sei se eu sou sensível demais ou o que haahaha (na realidade eu sei que eu sou sensível demais)
    Nem tenho o que dizer haha
    Só espero que você consiga realizar seu sonho, de preferência com 18, mas se depois, por que não? Tenho para mim que as coisas sempre acontecem no momento certo, nem antes nem depois, e não importa muito a nossa vontade.
    Enem precisa agradecer, eu gosto mesmo de conversar e não é todo mundo que está disposto a ouvir (:
    Beijoos

    ps: eu fofa? eeer hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vish, que chorona! rsrsrs brinks, eu te entendo!
      Sim, e acho também que as coisas vem na hora que precisam... aparentemente vou agora em setembro *-*
      Sim, adoro o fato de que posso conversar sobre as coisas com você porque você ouve e discute os assuntos e tudo o mais :)
      Sim, você fofa ^^ rsrs

      Excluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…

Saudade

Saudade.

Saudade de palavras. Saudade de sonhos. Saudade de segurar em uma caneta e caçar palavras para compor sonhos. Saudade de ver as palavras e sonhos de outros.

Saudade.

Saudade de ânimo. Saudade de aprender. Saudade de aprender com ânimo, todos os dias, dia após dia. De sentir paixão pelo que se aprende.

Saudade.

Saudade de acordar. Saudade de sentir. Saudade de acordar e sentir que há muito para se ver. De então ver a vida e senti-la.

Mas a maior saudade é de quando não havia cansaço. Este cansaço de tudo. E desejar que passe, e desejar que escoe. Para que então voe de volta para o que se tem saudade.

Saudade, por fim, de quando o mundo não era cansado e feio, mas sim feito... de sonhos, palavras e paixões... e do ânimo exuberante que tocava cada alma que nele habitava.

Saudades...

Sobre os meses sem novas postagens

Estudar é difícil. Você tem que usar seu tempo para isso e acaba não dando a atenção que devia para as outras coisas da sua vida, no meu caso, a escrita. E meu blog.

Então, o motivo para meu sumiço absoluto é esse (além de alguns acontecimentos no meio do caminho que sugaram minha força de vontade). Porém, estou ajeitando o caminho para voltar, talvez não com tudo ainda, mas voltar.

Preparem-se, "Letícia is coming".

Dentro em breve novas postagens, algumas de alguns textos escritos ao longo do ano e outras de textos escritos agora. E é isso aí.

Obrigada pela atenção!