Pular para o conteúdo principal

Desafio Skoob


Olha que coisa linda, me indicaram para esse desafio/tag/meme do Skoob! O blog que me indicou foi o Quase Clichê, da Camilla, e a brincadeira consiste em eu respondendo catorze perguntas sobre meu Skoob e indicar mais dois blogs. Indico a Rayanne do Menina das Palavras e A Ana Beatriz do Na Parede do Quarto para fazerem também.

Enfim, vamos lá...

1- Quantos livros você tem na aba LIDO no seu Skoob?
105, mas pelo andar da carruagem ainda essa noite o número vai pra 106. Durante as férias pretendo ler tantos que, vixe!

2- Qual livro você está lendo?
Bom, nesse exato momento, "A Garota Americana", de Meg Cabot.
Na aba "Lendo" eu tenho: "O Diabo Veste Prada" (Lauren Weisberger), "Épico" (Conor Kostick), "Senhor dos Anéis" (J.R.R. Tolkien), "Pollyanna" (Eleanor H. Porter), "Jogos Vorazes" (Suzanne Collins - esse eu vou ter que começar de novo), "Morfemas do Português" (Valter Kehdi) e, por fim, "Introdução à Linguística II" (organizado por José Luiz Fiorin).

3- Quantos livros você tem na aba VOU LER?
159, o que não é nada porque falta noventa-e-muitos-porcento só dos livros que tenho em casa que ainda não li.


4- Você está relendo algum livro no momento?
Não, mas reli recentemente "Eu Sou o Mensageiro", de Markus Zusak (maravilhoso, vale muito a pena)

5- Quantos livros já abandonou? Quais são eles?
Quatro: "Ataque do comando P.Q.", de Moacyr Scliar (apesar de adorar o autor a história era chatíssima e eu era muito criança); "A Cidade e as Serra", Eça de Queirós (sei que é clássico e que terei que ler, mas na época não rolou); "Hamlet" de Shakespeare em uma versão em prosa muito tosca, então quando nas férias eu for ler a versão original eu provavelmente gostarei e terminarei; "O Destino de Harry Potter" (Ivan Finotti, Juliana Calderari), porque eu li o último livro antes de terminar e porque era muito criança e cai na retardância de comprar um livro relativamente inútil como esse.

6- Quantas resenhas você tem cadastradas no Skoob?
Três, mas pretendo aumentar o número.

7- Quantos livros avaliados você tem na sua lista?
110, não sei como, devo ter avaliado algo sem querer ou algo que li um pedaço e deixei pra ler depois (e que agora está em "vou ler").

8- Na sua aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados?
32, talvez cresça em breve. 

9- Quantos livros você tem na aba TENHO?
157, poucos desses não são MEUS mesmo (seriam do resto do povo aqui em casa, mas como são da minha casa considero meus).

10- Quantos livros você tem na aba DESEJADOS?
93, mas isso é uma coisa que sempre cresce.

11- Quantos livros emprestados no momento? Quais?
Um, não registrado no Skoob (o que me lembra que posso ir lá registrar agora): "Contos Brasileiros 2", da série "Para Gostar de Ler".

12- Você quer trocar algum livro? Qual?
Nuncaaa! (hehehe)

13- Na aba META quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta?
22, li cinco e estou terminando o sexto... Foi difícil ler por causa da faculdade, os lidos acho que são basicamente da faculdade mesmo.

14- Qual seu número no paginômetro?
25.535, um bom número, cheio de cincos (e, tipo, dois mais três é cinco... ok, não liga pra mim)

15- Qual o link do seu perfil no Skoob?

Comentários

Postagens mais visitadas

Peões

Hoje, somos peões.

Na grande batalha da humanidade por um passo a mais, um nível a mais em direção à utopia que imaginamos, nós somos os peões.

Há sangue. Há dor.

Há a busca pela aceitação. Somos um. Um grande pequeno pedaço de um enorme universo. Isso é lindo. Isso é esquecido. Enterrado abaixo de muita sujeira e palavras de dor, de culpa, de ódio.

Há busca pela verdade. Porque mentem e enganam, ou porque muitos se intitulam proprietários das respostas para tudo e aqueles que creem nessas respostas lutam cegamente por elas. Ou mentem e enganam e tiram dos outros tudo aquilo que têm.

Busca-se dignidade. Busca-se justiça. Busca-se orientação.

Há a destruição de tudo o que se vê. Tudo o que existe em perfeito equilíbrio na grande engrenagem da vida... desequilibrada, e não há remorso por isso. Há morte, há destruição e não há quem veja que destruir o meio é destruir a si.

Destruir o próximo é destruir a si.

Uma palavra de ódio. Um galho arrancado. Uma liturgia mal pregada. Um lí…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cria…

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…