Pular para o conteúdo principal

Esse Hiatus Que Me Segue...

Pois é, galera invisível (invisível mesmo porque visitam visitam visitam mas ninguém comenta nada, são todos silenciosos), aqui estou eu em um dos maiores hiatus (palavra normalmente utilizada no mundo das fanfics que expressa um período grande sem postagens do autor) da história deste blog. E por quê? É elementar, meu caro leitor: faculdade.

Oh, sim, eu amo Letras. Cada dia que passa amo mais, me descubro mais, me completo mais e conheço mais. O problema é que quando me diziam "você vai ler bastante, como você gosta de ler vai ser ótimo" e "você gosta de escrever, vai fazer isso muito lá" eu inocentemente falava "ah, sim, eu sei, será lindo mesmo". NÃO é lindo. É exaustivo. Eu tenho que ler e escrever muito mais do que imaginava, não em quantidade, talvez, mas em conteúdo. É muita teoria, muita coisa louca que ninguém que não tenha lido também poderia entender.

Daí toda essa tonelada de coisas para escrever suga tudo o que tenho de energia para escrever. E fico sem falar nada aqui.

Veja bem, criatividade é o que não falta... Tenho inventado muito para meus dois livros em andamento, tenho pensado em posts para cá... CARA, EU FUI NA DISNEY e só citei ela em um postzinho de nada! Ainda tenho que escrever o diário de viagem aqui, é claro! Acho que postarei aos poucos cada um dos dias... vou ver isso.

A criatividade é tanta que tenho inúmeros planos para pôr em prática aqui no blog, para agitá-lo. Ainda assim não dá tempo nem vontade de escrevê-los. É uma triste realidade...

E aí eu fico deprimida porque esse blog é tudo pra mim e um dos projetos de escrita que eu realmente sigo e não abandono nunca (fanfic que não seja capítulo único nunca é terminada nas minhas mãos)... mas não tenho como dar continuidade nele... é um saco.

Enfim, vou escrever um post pro Sériedificador e depois alguns para o este aqui. Passei dia do livro, Halloween, hoje é dia do vegano e não falei sobre nada disso (como disse, não falei nem sobre a Disney), um absurdo!

Bom, mas prometo que contornarei esse hiatus. Sério mesmo.

Enquanto isso, leia os outros posts, releia os que já leu, COMENTE em tudo o que ler, e assim vai...

Comentários

  1. Olá Lelê,
    Realmente vc escreve bem! Adorei. Mas faculdade é isso mesmo parece que tentam te isolar do que mais gosta mas aqueles persistentes vão entender mais tarde que valeu a pena e que essa teoria toda ajuda a compreender num grau profundo o que as vezes até percebíamos num nível mais superficial. Força, Coragem e Vontade. não deixe de escrever! bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tia!
      Muito obrigada, mesmo! É, toda vez que me pego surtando penso exatamente nisso, o quanto isso vai mudar minha vida e melhorá-la! Não deixarei nunca, pode ter certeza! Beijos em todos

      Excluir
  2. Aaaah amiguinha, eu sei que é triste ! E como ! Aqui em casa ultimamente anda assim : A família toda no computador, e me restam apenas umas hora à noite, aí a minha mamadi me fala " Rayanne, dormir." E eu argumento : "Maas mãae, vocês ficaram aqui o dia inteiro, eu tenho o blog para escrever, três fics, dois livros, tenho que atualizar a Dani também sabiaa? Meus leitores me anseiam!" Ai ela diz : "Fala sério garota, escreve o dia inteiro! Não cansa? Você precisa dormir ! Vai comer as letras, os livros, vai viver de palavras!" E eu sorrindo, pensativa ao meu futuro respondo : "Vou sim." ahhahaha' Eu faço a dieta das frases, como elas e não me alimento. Sei lá, não tenho fome, quando escrevo meu cérebro se alimenta e fica produtivo e é como se ele sustentasse todo o resto.
    Mas voltando a você, que é o assunto principal... hahaha' Fé e força, você sabe que todo esse buraco negro da faculdade te sugando, levará você à uma outra dimensão, muito mais linda e repleta de livros seus *o* Juro cara, que quando você lançar o seu primeiro livro, quero ser uma das primeiras a saber para me preparar para o lançamento ;}
    Te adoro :**

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

Peões

Hoje, somos peões.

Na grande batalha da humanidade por um passo a mais, um nível a mais em direção à utopia que imaginamos, nós somos os peões.

Há sangue. Há dor.

Há a busca pela aceitação. Somos um. Um grande pequeno pedaço de um enorme universo. Isso é lindo. Isso é esquecido. Enterrado abaixo de muita sujeira e palavras de dor, de culpa, de ódio.

Há busca pela verdade. Porque mentem e enganam, ou porque muitos se intitulam proprietários das respostas para tudo e aqueles que creem nessas respostas lutam cegamente por elas. Ou mentem e enganam e tiram dos outros tudo aquilo que têm.

Busca-se dignidade. Busca-se justiça. Busca-se orientação.

Há a destruição de tudo o que se vê. Tudo o que existe em perfeito equilíbrio na grande engrenagem da vida... desequilibrada, e não há remorso por isso. Há morte, há destruição e não há quem veja que destruir o meio é destruir a si.

Destruir o próximo é destruir a si.

Uma palavra de ódio. Um galho arrancado. Uma liturgia mal pregada. Um lí…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cria…

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…