Pular para o conteúdo principal

Tag dos Blogueiros

A Rayanne do Xícaras & Palavras me indicou para essa Tag e eu achei uma coisa muito linda ela fazer isso. A Tag consiste em responder perguntas sobre mim, meu blog e a sua criação, além de indicar mais outros blogs; se possível com menos de 100 membros, pois o objetivo é divulgar blogs por-fora desconhecidos.

Portanto, vou indicar logo de cara, porque nem sei se todos vão ler tudo mesmo e acho legal lerem quem eu indiquei. E não vou indicar só blogs pequenos, vou indicar blogs que gosto. E meus parceiros de Contrastes Literários que me desculpem, mas só achei o link de um de vocês rsrs
- Hey, London

Ok, agora às perguntas!

1. Como Escolheu o nome do blog?

Eu era uma bobona que não tinha o que fazer e achou legal criar um blog. Foi a MUITO tempo atrás. Eu estava ouvindo uma música chamada "Underdog" enquanto pensava em como chamaria meu blog. Na letra conhecemos uma garota invisível e cujos sonhos são "podados", por assim dizer, pelos outros. Mas é também uma garota que nunca desiste; alguém a quem você deve prestar atenção, pois ela pode ser a pessoa que vai mudar o mundo. Acho uma mensagem muito legal e eu me identificava com "ser invisível". Pesquisando, vi que "Underdog" era vira-lata e também "por-fora", "excluído", etc. Na época, coloquei "this underdog". Mas foi um blog meio abandonado. Quando resolvi retomar, mudei para um nome em português e coloquei "Outro Por-fora" (pensando em esse "outro" ser algo do tipo "outro blog", "outro leitor", "outro escritor", "outro momento"...). A ideia do cachorro, obviamente, veio do fato de "underdog" ser "vira-lata" e o primeiro cão a ilustrar o blog foi um de pelúcia com uma plaquinha... Eu tentei achá-lo pra colocar aqui, mas não estou conseguindo. Enfim, depois muitos outros cães ilustraram o Outro Por-fora.

2.Quanto tempo se dedica ao blog?
Depende da época. Sempre sou relapsa, mesmo assim. Mas agora pretendo organizar pelo menos dois dias fixos de postagem aqui, um será nas sextas, com certeza, e o outro ainda estou decidindo, mas talvez terças. Claro que sempre pode haver uma postagem aleatória em um dia que não foi pré-determinado.

3. Já teve algum problema com comentários de anônimos no blog? O que?
Não, ainda bem. Mas sempre tem uma pessoa muito bacana (sinta a ironia) para comentar propaganda num post. Ou os mais bacanas ainda que leem e não comentam, e depois usam outra pessoa de pombo-correio, ou esperam me ver ao vivo, para dizer o que achou. Isso é chato, muito chato.

4. Pretende mudar algo no blog em 2013?
Em breve (provavelmente este fim de semana no máximo) colocarei o endereço novo (www.outroporfora.com) do blog. É trabalhoso, terei que ensinar pra todo mundo o link novo, terei que mudar em um monte de lugares, etc e tal, mas eu penso no fator de que é mais profissional e mais fácil de falar para uma pessoa em conversa para ela entrar no "outroporfora.com", certo? Enfim, além disso, mais para frente eu provavelmente vá mudar um pouco alguma coisa na aparência. Também tem a coluna nova, o "Sem Título", que já tem duas postagens e que eu espero que faça sucesso. Não sei se o projeto da lojinha vai sair, mas vou realmente tentar fazer um sorteio (talvez em comemoração ao aniversário do blog).

5. Já ficou sem inspiração pra postar? Como superou isso?
Toda santa hora batman! Eu costumo olhar no Bloínquês algum tema da semana, ou procuro imagens no We Heart It, mas enquanto o Bloínquês estava desativado ficava mais complicado (nos casos em que eu não tinha assunto). Por isso tantos espaços sem post. Normalmente eu observo meu dia-a-dia porque sempre tem um negocinho, um detalhe, que pode tornar-se uma grande história. Mas às vezes nem eles saltam aos olhos.

6. O que gosta de fazer quando esta no computador?
Gostaria de dizer que escrevo meu livro. Mas não, o maldito Facebook, que eu antigamente odiava e não sabia mexer, me dominou junto com as outras redes sociais. Aí ele me distrai. Também mexo nos meus blogs, fuço o Skoob e o Filmow, ouço música, vejo séries e filmes... Faço qualquer coisa menos escrever o bendito livro. Mas também quando escrevo, sai um monte de coisas (pelo menos isso, né).

7. Quantos livros você lê por mês?
Não dá pra contabilizar, simplesmente porque tem mês que você lê um monte e outros que não lê nada. Mas minha meta desse ano está super enorme. Veremos. Já li cinco.

8. Quantos Blogs visita todos os dias?
Poucos, mas pretendo melhorar isso.

9. Qual Blog visita todos os dias?
Não todos os dias, mas sempre que posso, os dos meus amigos (alguns meus parceiros em algum blog, outros não mas amigos mesmo assim) e mais alguns que descobri "ao longo da estrada", por assim dizer, que acho fantásticos.

10. Quanto tempo você esta na Blogosfera?
Quase quatro anos.

11. Você se inspira em outro blog?
Não. Meu conteúdo é bastante... meu. Meus assuntos não são muito sobre coisas comuns na blogosfera, então imagino que seja por isso que meu blog continua tão pequenino (além de outros fatores como lerdeza para divulgar e grandes espaços de tempo sem postar). O "Sem Título" é uma coisa parecida com blogs de resenhas, mas só quando fala de livros... O próximo post que estou preparando vai mostrar que ele realmente não é muito desse estilo. Mas eu me inspiro em outros blogs para o design, no sentido de visitar seus tutoriais (esse design atual existe, basicamente, graças a estes: Cherry Bomb, Karine in Júpiter, Camila's Designs, Menina Nerd).

Comentários

  1. Siiim, eu li até o fim o/. Obrigada por me indicar, pretendo responder isso ainda hoje se a preguiça deixar UHAEUHUAEHAE. Cada dia melhor o seu blog heim, é ''nóis''!

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAAAAA que coisa maais "paixão de lamber os dedos" ler a história do "por-fora". É tão bonita a forma carinhosa com que você fala dele *-* Meus cãezinhos favoritos *-*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

Peões

Hoje, somos peões.

Na grande batalha da humanidade por um passo a mais, um nível a mais em direção à utopia que imaginamos, nós somos os peões.

Há sangue. Há dor.

Há a busca pela aceitação. Somos um. Um grande pequeno pedaço de um enorme universo. Isso é lindo. Isso é esquecido. Enterrado abaixo de muita sujeira e palavras de dor, de culpa, de ódio.

Há busca pela verdade. Porque mentem e enganam, ou porque muitos se intitulam proprietários das respostas para tudo e aqueles que creem nessas respostas lutam cegamente por elas. Ou mentem e enganam e tiram dos outros tudo aquilo que têm.

Busca-se dignidade. Busca-se justiça. Busca-se orientação.

Há a destruição de tudo o que se vê. Tudo o que existe em perfeito equilíbrio na grande engrenagem da vida... desequilibrada, e não há remorso por isso. Há morte, há destruição e não há quem veja que destruir o meio é destruir a si.

Destruir o próximo é destruir a si.

Uma palavra de ódio. Um galho arrancado. Uma liturgia mal pregada. Um lí…

Então... Um Rosto na Multidão

Eu quero lutar. Você não vai me ver parar. Porque eu sei que o mundo precisa de mudanças e elas precisam começar de algum lugar, mesmo que seja por causas menores (ainda que não existam causas menores). Você não vai me ver desistir, você me verá batalhando.
Posso ser apenas mais um rosto na multidão, mas é exatamente isso que quero ser, porque é isso que uma multidão é: um monte de rostos, bravos, querendo algo mais. Então, venha ser mais um rosto na multidão ativista, e não na passiva. Seja mais uma voz gritando seus direitos.
Não é possível que você não se incomode. Mesmo que sua vida esteja boa, assim como a minha, que você possa estudar, ter seu emprego, ter sua comida, comprar suas coisas (não tudo o que você quer, mas uma coisa ou outra), não é possível que você olhe para o mundo em sua tv ou computador que você lutou para comprar e não sinta nada ao ver... ver como há pessoas que não tem comida e água e que estão doentes, ver pessoas na seca do sertão com o gado morrendo e cria…

A História de Tudo

Havia uma rua, com árvores, e alguém a atravessava. Tudo ali era um pedaço de Universo.
Um pedaço da vasta história de tudo.
A pessoa que a atravessava. O chão. As árvores. O vento que soprava.

Cada átomo e molécula uma combinação de combinações em uma grande e infinita caixa de peças de montar. Encaixe como queira. Pegue um pouco de estrelas, um pouco de dente de sabre, um pouco de cometas, um teco de folhas de hortelã. Ali vai uma bicicleta.

Cada canto para o qual olhava, via uma infinidade de possibilidades.
Não viu aquela galáxia, velha conhecida, colidindo consigo.
No chão, riram. Ondas se propagando por todo o espaço. Ergueram-se. Sorriram.

Era nébula. Nefertiti. Pétalas de rosa e gotas de mar do pacífico.
Era asteroides. César. Marfim e casca de salgueiro.
A vastidão da amazônia na imponência de Júpiter, olho no olho.

O Universo. É. Simplesmente. Desde quando começou a ser. Sem mais, sem menos. Apenas reorganizando-se como uma lista de pensamentos, uma sucessão de pastas. Combinando-se…