Pular para o conteúdo principal

Ser a Mensagem



Um livro que me define? É difícil de escolher, mas o que me veio à cabeça primeiro foi "Eu Sou o Mensageiro", de Markus Zusak. Como um taxista de 19 anos perdedor pode ser parecido comigo (além do fato de ter minha idade)? Bom, Ed descobriu por meio de cartas de baralho o que era viver de verdade... Eu descobri por meio da minha escrita. Ele ajuda pessoas e vê beleza em coisas como um pé descalço ou um sorvete. Ele sabe que um jogo de luzes natalinas novas é o bastante para iluminar muito mais do que uma casa e que tênis inexistentes podem fazer uma corredora ser bem mais ágil. Ed me mostrou como as pessoas são bonitas pelo que são, e que mesmo sendo um perdedor, invisível para o mundo, você pode fazer a diferença com pequenos atos. Isso é o que creio, o que sonho, o que sinto dentro de mim desde quando era criança e decidi ser escritora e "protetora da natureza". Percebi que sou como Ed Kennedy e que prefiro correr atrás do sol a esperar que ele venha incidir sobre mim. E quando decidi o que queria ser, eu havia decidido ser a mensagem que Ed foi.

Texto para o Concurso Cultural do blog da BabiDewet e da Cuponation Brasil

Comentários

  1. Tem noção do quanto gostei de ler isto? É tão bom ler revelações da nossa intimidade pelo efeito de um livro. E posso te dizer, que mesmo sem ter lido o livro eu vejo as semelhanças entre você e o Ed. *-* Beijos :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!

Postagens mais visitadas

As Bolhas

Sigo uma filosofia de olhar todos como neutros. Cada dia, as pessoas são uma coisa. De vez em quando, bolhas de sabão. Outras vezes, são todos bonecos de papelão.
Não importa a figura do dia, todos são idênticos à minha frente.
Não os vejo assim porque penso em um mundo massificado onde todos são iguais, dominados e alienados. Nada disso. Mesmo porque, de qualquer forma, já vivemos mais ou menos assim.
Os vejo como bolhas de sabão porque sei que é o certo a se fazer. Enquanto não conhecer a pessoa, ela é uma bolha. Dentro há uma infinidade de curiosidades para se descobrir. Quando a bolha estoura descubro o nome e, depois, a pessoa em si. Como ela é, o que pensa, o que gosta.
E, ainda assim, mesmo depois de a bolha estourar, tenho em mente que todos fomos bolhas. Eu era a bolha dele, ele a minha, nós dois a sua.
Escolhi bolhas porque elas são simplesmente redondas, de sabão e ar, e flutuam por aí, iguais, livres. Mas todas têm um brilho especial ao sol e um quê de diversão... Quem não gost…

À Luz da Manhã

Para Matheus e João.
Ouça. Crescer é como correr descalço na areia. Os pequenos grãos tocam sua pele e você sente, mesmo com a maciez do movimento ou o impacto suave, a aspereza do solo. A sensação é incômoda, mas ao mesmo tempo libertadora. Você para, então, e olha ao redor. Olha as marcas de seu pé no caminho que fez e o modo como, em alguns momentos, eles foram suaves e quase imperceptíveis e, em outros, foram largos e espalhafatosos. Você olha para o outro lado e vê o quanto ainda há para ser marcado. O som do oceano chega aos seus ouvidos e a brisa sopra seus cabelos e você sorri: está bem ali, entre onde já correu e para onde ainda vai correr. Mas, no fim, você só quer sentir seus pés afundando na areia enquanto o mar sopra sua canção ao vento.
Crescer é como subir uma colina de grama verde molhada pelo orvalho da manhã. Você quer saber, mais do que tudo, o que há do outro lado: serão montanhas ou vales? Serão córregos ou lagos? Que tipos de árvores haverão para serem escaladas? …

Sobre os meses sem novas postagens

Estudar é difícil. Você tem que usar seu tempo para isso e acaba não dando a atenção que devia para as outras coisas da sua vida, no meu caso, a escrita. E meu blog.

Então, o motivo para meu sumiço absoluto é esse (além de alguns acontecimentos no meio do caminho que sugaram minha força de vontade). Porém, estou ajeitando o caminho para voltar, talvez não com tudo ainda, mas voltar.

Preparem-se, "Letícia is coming".

Dentro em breve novas postagens, algumas de alguns textos escritos ao longo do ano e outras de textos escritos agora. E é isso aí.

Obrigada pela atenção!