12 junho 2013

Amantes


E se nos encontrássemos à noite, quando o sol estivesse dormindo e a cidade fizesse silêncio? Bem naquela hora em que os olhos ardem pedindo por descanso, mas você sugerisse um café para tapear e nós pudéssemos adentrar a madrugada juntos, vivendo em outro mundo?

Você pegaria minha mão e me puxaria para outro lugar...

Palavras. Palavras. Elas passam daí pra cá, te transbordam para cima de mim e sou tomada por todo o desejo de despejá-las, sem ter muito bem certeza de como. Os olhos ardem, porém não mais secos, o coração aperta, apenas distraído, e a vida é uma ambiguidade de histórias e personalidades. Estou em diversos lugares e mundos, estou entre bem e mal, frente a possibilidades.

Tê-lo em mãos é como andar em uma corda bamba: demais para cá, volto à realidade dolorosamente; demais para lá, entro em uma viagem eterna, o que não seria de todo ruim caso funcionasse como realmente gostaria. É estar a todo momento prestes a cair de um precipício e é embebedar-me de cafeína para que possa suportar a angústia de consumi-lo o mais rápido possível.

Saborear, envolver, devorar, ser. Estou ali, olhando-o, absorvendo letra a letra, a bela história que me seduziu para a mais bela madrugada de leitura. Até o próximo livro vir.


Para os leitores e também escritores que amam as palavras e histórias que os seduziram. Feliz dia dos namorados para os casais, sejam eles de carne e osso, de papel ou o impossível par de carne e papel.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Aliane Soares12/06/2013 23:35

    Wow!!!! Parabéns, Let! De verdade! Esse texto (como todos os outros) está muito bom. Você é uma genia! Sério mesmo.
    Não sei como, mas você fez essa relação parecer palpável só com palavras. Não é qualquer um que consegue esse efeito em textos curtos e simples. Parabéns (de novo)!!

    HashtagProudFriend :)

    ResponderExcluir
  2. Gostei, Letícia! Que legal! Obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe um comentário dizendo o que achou! :)