As minhas Bienais do Livro

Mais um ano de Bienal do Livro de São Paulo passou por aí. Mais um monte de dias de livros, autores, leitores, cosplays, cenários e brindes.

Um dia em que fui eu.

Depois de um longo tempo sem ter vontade e energia para ler e escrever, comecei a voltar para este universo, pouco a pouco. Escrevi aqui e ali, voltei com o blog e comecei a ler um livro no meu Kobo.

Aí veio a Bienal e fiz minha listinha. Compraria coisas para dar aula e HQs que queria há muito tempo. Não achei as HQs, não comprei livros para dar aula, comprei outros que sempre quis ou que me interessei na hora. Comprei jogos. Comprei colecionáveis.

Mas a parte mais legal foi interagir com autores e leitores e divulgar o por-fora. Cumprindo, de certa forma, o que prometi há tanto tempo...

Vamos passear um pouco pelas minhas Bienais.

Há oito anos, quando estava no Ensino Médio, fui com a escola em minha primeira Bienal. Rendeu alguns livros, um botton que amo muito (eu coleciono e amo demais) e muitas fotos épicas com os amigos. Parei em diversos estandes e perguntei sobre publicar livros nas editoras. Estava inspirada. Falei, ao fim do passeio, para as professoras: no próximo ano serei eu de autora.

O próximo ano veio e eu ainda era visitante. Fui com meu pai, circulei a coisa toda. Via as pessoas chamando ele para dar desconto, por ser professor.

Aí, veio a outra bienal, 2014, minha terceira. Fui de novo com meu pai e encontrei com meu amigo, que esteve comigo lá na primeira também. Conheci vários autores ao vivo, como a Renata Ventura, vi o Ziraldo, tirei fotos sensacionais e comprei vários livros. Mas ainda não era uma autora expondo, apesar de escrever no blog e meu pai querer que eu espalhasse para todos isso.

Mais dois anos passaram, mais uma vez lá estava eu. Agora, eu era a professora. Agora, eu já não escrevia com frequência alguma e tampouco lia. Estava com minha amiga e as amigas dela. Rodei, gastei muito dinheiro, ganhei descontos de professora, tirei fotos legais e vi mais uma vez a Renata Ventura. Virou um ritual ir visitá-la.

Ainda não era a escritora com livro publicado.

Então, veio este ano. Escrita? Abandonada, praticamente, há mais de ano. Leitura? Mais que enferrujada. Engatinhando de novo na recuperação dentro de mim do mundo que me alimentava por dentro. As palavras que eram o que me guiava pela vida estavam retornando de pouquinho e a Bienal chegou... No susto, percebi o que estava vindo. E tive uma iluminação, em meio a energia que ia voltando em mim, graças à ajuda de algumas das pessoas que foram comigo à feira esse ano: divulgar meu blog!

Foi um pontapé na testa para eu parar e dizer "EI, você já consegue escrever e ler de novo. Já está indo, aos poucos. Faz uma divulgação na Bienal, se inspire, retome sua vida!"

Então, depois de oito anos, lá estava eu. Professora, mais uma vez. Com dois dos amigos da primeira Bienal, com a amiga da anterior, com mais uma galera enorme. Com ideias de livros que não foram comprados e muito mais preparada para carregar o que comprei. Com marcadores, divulgando o por-fora, contando para todo mundo que depois de tanto tempo, estava de volta. Tirando fotos épicas e vendo a Renata mais uma vez.

Foi catártico. Foi lindo. Foi um passo a mais na direção da promessa que fiz àquelas professoras.

Era eu como autora, como professora, como leitora. Como vencedora de uma batalha intensa.

Era eu olhando para as pessoas e falando "Oi, eu escrevo neste blog" e vendo sorrisos dizendo "Nossa, que legal! Vou visitar! Muito sucesso!". Era trocar textos e abraços com outros autores buscando estes sorrisos. Era sentir pertencer.

Obrigada pelos sorrisos. Espero que na próxima Bienal, eu cumpra de verdade a minha promessa. Mas, se não cumprir, não tem problema. Sempre tem mais uma para tentar de novo.

Comente com o Facebook:

1 Comentários

  1. Parabéns Letícia amei o seu texto, e muito gratificante poder compartilhar da felicidade da sua mãe minha amiga amada. Embora, eu não tenha tido convívio direto com você, sempre soube das suas cinqconqui e desafios ois, sempre perguntava de você para sua mãe. Que DEus continue te capacitando ainda mais, que chuva de bençãos sejam derramadas sobre a tua vida. Sucesso, sucesso e sucesso. Estou admirada com o te despertar, teu renascimento para com os livros, leitura! Minha linda desejo a você sucesso, sucesso e sucesso.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe um comentário e compartilhe com os amigos!