Pular para o conteúdo principal

Então...

Lembram do Pois é? Certo, eu nunca utilizei muito a tag, nunca a desenvolvi. E daí refletindo (faço muito isso) sobre o assunto, minha homenagem ao vovô será diferente. Ao invés de usar o termo dele, usarei outro termo, quase parecido, que eu uso bastante também: "Então..." será a nova coluna do blog!

O objetivo é, talvez, intercalar com o Sem Título, e falar sobre assuntos da atualidade (polêmicos ou não) em geral. Alguma notícia legal que eu queira opinar, alguma curiosidade sobre o mundo ou sei lá, qualquer acontecimento que me inspire a falar. Por exemplo "Então... O dia amanheceu chuvoso" (eu não vou falar isso, claro... acho eu), entende?

Beleza, espero que agora dê certo. Para ler, clique AQUI.

Esse cachorro muito cult tem uma
super cara de Clark Kent.

Comentários

Postagens mais visitadas

Real Demais

Caminhou tremulamente até a ponta. Olhou para baixo e viu o mundo. Estava tão no alto, tão superior às pessoas e carros minúsculos lá embaixo... Até os outros prédios pareciam pequenos. Resolveu sentar-se.

Sua espinha congelava enquanto se movia lentamente, para sentar-se. Precisou forçar tanto sua coluna para baixo que sentiu que ela era um pedaço de gelo quebrando-se. Seu braço estava arrepiado. Ela odiava alturas.

Não poderia arriscar olhar para cima, porque seria tão ruim ou pior. A imensidão sobre sua cabeça lhe causava arrepios, principalmente estando sentada em um lugar tão... instável. Se desequilibraria mais facilmente ainda.

Ficou parada um tempo, decidindo para que ponto olhar. Percebeu que manter a cabeça reta e os olhos baixos não lhe trazia aquela sensação... horrível. A cabeça girava, tudo ficava preto, o coração acelerava...

Tum. Tum. Tum.

Ela se virou e revistou a mochila. Tirou algo de lá e, lentamente, esticou uma perna para baixo. Depois se arrastou para frente co…

Outro Estranho na Janela

Leia a primeira parte dessa história: Um Estranho Na Janela
Texto para a oficina criativa do colégio, inspirado na imagem de uma edição do Bloínquês que não consegui participar porque não consegui escrever o texto a tempo.
Dedicado aos Chapeleiros e Alices do mundo.
O sol dourado de outono brilhava a meio caminho do chão. A moça sentava-se em uma telha mais macia, no telhado de sua casa. Usava um vestido confortável e tinha os pés descalços. Largou o pequeno livro amarelo que lia no peitoril da janela e viu as árvores se espreguiçarem.

Nas casas ao redor, cachorros latiam para os donos que chegavam mais cedo. Crianças vinham sorrindo da escola. Um dia comum e pacato.

Alice gostava de sentar-se no telhado desde a noite em que seu irmão disse ter visto Papai Noel na janela. Fora tão surpreendente ouvir Felipe dizendo aquilo, já que ele costumava ser tão chato e estraga-prazeres, que seu passatempo virou sentar-se no telhado e esperá-lo.

Mas um dia todos crescem e Alice parou de acredit…

Eu naum xcrevo errado

Achou algum erro no título dessa postagem? EXCELENTE, isso significa que você SABE português. Se você não encontrou algum erro, eu sugiro que LEIA o que vou falar e assista o vídeo abaixo:




Felipe Neto, um cara que gosto muito porque basicamente pensa as mesmas coisas que eu sobre o mundo. E, nesse vídeo, ele falou o que sempre quis dizer mas nunca tive coragem (mentira, coragem eu tinha, só não tinha era onde falar). E agora ele me inspirou e eu vou dizer tudo, botar pra fora (não, quem bota é galinha)... Colocar pra fora tudo o que penso.

Estamos todos sentados em uma classe, em mais um dia massante de aula, e então temos que ouvir uma conversa entre duas antas (o pior que que antas, aqueles mamíferos gordinhos, são inteligentes...):

- Tá congelado!
- Eu sei, mas já deve ter esfriado.

PUTA QUE PARIU! Se tava congelado ele JÁ ESTAVA FRIO, cacete!

E o pior é que ESSE TIPO de gente ganha brilho, por qualquer merda por aí. Sabe, as pessoas tem que ter um nível de inteligência básico para serem…